quinta-feira, 31 de maio de 2012

Visita ao CRAS

            O CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) é destinado para atender os Beneficiários do Programa Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada, famílias vulneráveis.
            No espaço funcionam:
  • CREMI (Clube Recreativo da Melhor Idade), que oferece espaço de convivência e socialização aos idosos com idade igual ou superior a 60 anos, desenvolvendo atividades sistematizadas de forma a contribuir para o envelhecimento ativo e saudável, evitando a ruptura dos vínculos familiares e a institucionalização. Desenvolve e visa desenvolver as seguintes atividades: passeios, palestras com temas diversos, atividades físicas e culturais, alfabetização, orientações sobre direitos, no qual o lúdico permeio todo o processo onde as atividades e estimulam a duscussão e encontram soluções para problemáticas levantadas. O Grupo tem por objetivo fortalecer a autonomia, integração e socialização dos idosos; resgatar a auto-estima; promover a interação entre os participantes e a comunidade, por meio da troca de experiências; executar atividades prazerosas e de lazer; resgatar o valor da vida e valorizar suas potencialidades para um viver mais saudável e criar novas possibilidades; desenvolver ações coletivas com os idosos, através de acompanhamento profissional; Promover palestras e debates sobre temas relacionados à terceira idade e outros assuntos de interesse dos idosos.
  • ProJovem Adolescente que visa complementar a proteção social básica à família, criando mecanismo para garantir a convivência familiar e comunitária e criar condições para inserção, reinserção e permanência do jovem, de 15 a 17 anos de idade, no sistema educacional.
Turma do CREMI em aula de canto com a Sra. Marialva com violeiros e sanfoneiros.
Marialva exibindo uma das bolsas confeccionadas pelas costureiras do CRAS.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Um novo Amigo

               O Espaço da Cidadania e o Centro de Atendimento Sócio Infantil agradecem ao Senhor Joaquim Arnoldo Evangelista Silva pela doação da incrível coleção PERCY JACKSON & OS OLIMPIANOS do autor RICK RIORDAN.

            Seja você também um amigo do nosso projeto de incentivo a leitura, doe uma coleção, doe um livro, toda ajuda é bem vinda.
               Se você é empresário, faça uma doação e receba o certificado de Empresa Amiga do projeto.
               Você também pode se tornar um amigo voluntário para participar conosco de diversas atividades que serão desenvolvidas como rodas de leitura, semana do conto, sarais e muito mais.

Nossas crianças e adolescentes contam com você!
 

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Itanhandu está presente!

Nos dias 25, 26 e 27 de maio, a Conselheira Tutelar Isa Paula Esteves Lopes, e os adolescentes Anne Karoline dos Santos Medina, Bruna Marcela Siqueira Lúcio e Vinícius Lamim da Fonseca representaram o nosso município no I Encontro Mineiro de Protagonismo Juvenil no Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, na Casa de Retiro São José em Belo Horizonte.
A Conselheira Tutelar Isa Paula Esteves Lopes, e os adolescentes Anne Karoline dos Santos Medina, Bruna Marcela Siqueira Lúcio e Vinícius Lamim da Fonseca
Abertura
Moisés Barbosa Ferreira Costa - Coordenador da Rad-Fevcamg, Coordenador Juvenil da Região Sudeste e Membro da Coordenação Executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes
Dinâmica de perguntas sobre o ECA com torta na cara.
O Vinícius foi o nosso contemplado.
Anne, Isa e Bruna.
Anne, Vinícius, Bruna e Isa.
Anne e Bruna
Isa e Anne
Divisão de grupos para debate e elaboração das propostas.
Anne apresentando em plenária as propostas de seu grupo.
Plenária.
Isa, Bruna, Anne e Moisés.
Bruna Marcela Siqueira Lúcio
Anne Karolinne dos Santos Medina
Conselheira Tutelar Isa Paula Esteves Lopes
Vinícius Lamim da Fonseca
Dinâmica ao ar livre.
Participantes de diversas cidades de Minas.

Agradecemos a:
Vânia Sobreira
Secretária Executiva do Projeto Minas Agindo em Rede
Fórum Interinstitucional de Enfrentamento à Violência Doméstica, Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes de Minas Gerais - FEVCAMG
e a
Moisés Barbosa Ferreira Costa
Circo de Todo Mundo
Coordenador da Rad-Fevcamg
Ponto Focal Juvenil de Minas Gerais
Coordenador Juvenil da Região Sudeste e
Membro da Coordenação Executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes
pelo convite para este evento de causa tão grandiosa, temos certeza que os adolescentes do nosso município que participaram voltaram enriquecidos e prontos para compartilhar o que foi visto, ouvido e aprendido com outros jovens de nossa cidade.


CASI

Adolescentes do CASI participando de dinâmicas na Quadra de Esportes
Aulas de Jiu Jitsu
Adolescentes do CASI no Centro Vocacional Tecnológico

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Inauguração do CASI

A Prefeitura Municipal de Itanhandu, através da Secretaria Municipal
de Desenvolvimento Social, tem a honra de convidar Vossa Senhoria
para participar das inaugurações abaixo, no dia 1º de junho de 2012.

     11h30  -           Pavimentação da Rua João Baptista Scarpa
                             (Trecho do Parque de Exposições até o Bairro Santa Odila)

     12h00  -           Sede do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social)
                             Local: R. Francisco Gomes Pinto, s/nº - Bairro Jardim Colina

     12h30  -           CASI (Centro de Atendimento Sócio Infantil)
                             Local: R. Manoel Carneiro, nº 534 - Bairro N. S. de Fátima




quarta-feira, 23 de maio de 2012

Itanhandu está presente!


          A Conselheira Tutelar Isa Paula Esteves Lopes e os adolescentes, Vinícius Lamim da Fonseca, Anne Karolinne dos Santos Medina e Bruna Marcela Siqueira Lucio representarão nosso município no I Encontro Mineiro de Protagonismo Juvenil no Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes em Belo Horizonte nos dias 25, 26 e 27 de maio.
É isso ai pessoal...
vamos fazer bonito...
vamos abraçar esta causa!
 

sexta-feira, 18 de maio de 2012

18 DE MAIO


          Em 1973 um crime bárbaro chocou o Brasil. Seu desfecho escandaloso seria um símbolo de toda a violência que se comete contra as crianças.

          Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada em 18 de maio de 1973. Ela foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória (ES), poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

          Os acusados, Paulo Helal e Dante de Brito Michelini, eram conhecidos na cidade pelas festas que promoviam em seus apartamentos e em um lugar, na praia de Canto, chamado Jardim dos Anjos. Também era conhecida a atração que nutriam por drogar e violentar meninas durante as festas. Paulo e Dantinho, como eram mais conhecidos, lideravam um grupo de viciados que costumava percorrer os colégios da cidade em busca de novas vítimas.

          A capital do estado era uma cidade marcada pela impunidade e pela corrupção. Ao contrário do que se esperava, a família da menina silenciou diante do crime. Sua mãe foi acusada de fornecer a droga para pessoas influentes da região, inclusive para os próprios assassinos.

          Apesar da cobertura da mídia e do especial empenho de alguns jornalistas, o caso ficou impune. Araceli só foi sepultada três anos depois. Sua morte ainda causa indignação e revolta. O dia 18 de maio foi instituído em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas, reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil. O evento foi organizado pelo Centro de Defesa de Crianças e Adolescentes (CEDECA/BA), representante oficial do Ecpat, organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia. O encontro reuniu entidades de todo o país. Foi nessa oportunidade que surgiu a ideia de criação de um Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

          De autoria da então deputada federal Rita Camata (PMDB/ES) - presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente do Congresso Nacional -, o projeto foi sancionado em maio de 2000.
Desde então, a sociedade civil em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promovem atividades em todo o país para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade da violência sexual.
          O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes vem manter viva a memória nacional, reafirmando a responsabilidade da sociedade brasileira em garantir os direitos de todas as suas Aracelis.

          Lei 9.970 – Institui o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil - Art. 1º. Fica instituído o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

FAÇA BONITO



          Será lançada, nesta sexta-feira 18 de maio de 2012, a nova campanha Faça Bonito, Proteja Nossas Crianças e Adolescentes. A campanha faz parte do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Infanto-juvenil e é realizada pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e demais integrantes da Comissão Intersetorial.
          O evento contará com diversas atividades e ações de mobilização em todo o Brasil. O objetivo principal da campanha é mobilizar a população para o enfrentamento da violência sexual contra meninos e meninas, incentivando a denúncia através do Disque 100.

          A data não foi escolhida por acaso. No dia 18 de maio de 1973, a menina Araceli Cabrera Sánchez Crespo, então com 8 anos, foi sequestrada, violentada e morta, na cidade de Vitória no Espírito Santo. Seu corpo foi encontrado seis dias depois, desfigurado e com marcas de abuso sexual. O fato ficou conhecido como o “Crime Araceli” e os suspeitos, até hoje, não foram punidos. No ano 2000, após grande mobilização do movimento em defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, foi aprovada pelo Governo Federal a Lei 9.970/2000, que instituiu o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.

          Para Karina Figueiredo, Secretária Executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, o dia 18 de maio é uma oportunidade para um debate com a sociedade sobre o tema: “o respeito aos direitos sexuais de crianças e adolescentes é um ideal a ser alcançado no Brasil.  Nesse 18 de maio, faz-se de extrema importância que o movimento de defesa de crianças e adolescentes se articule, se insira e participe desse debate”, disse ela.

          A mobilização do dia 18 de maio de 2012 se estende por municípios e capitais de todo o País. Contará com palestras, seminários, workshops, passeatas com distribuição de material informativo, lazer para crianças, entre outras atividades para conscientizar a população a respeito da importância da defesa de crianças e adolescentes contra a violência sexual.


FAÇA BONITO

          O slogan Faça Bonito - Proteja nossas crianças e adolescente quer chamar a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes no Brasil. 


          A campanha tem como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.


          Esse símbolo surge durante a mobilização do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes de 2009. Porém, o que era para ser apenas uma campanha se tornou o símbolo da causa, a partir de 2010.


          Esse símbolo, singelo pretende ser reconhecido como símbolo dessa causa, assim como o laço vermelho se transformou no símbolo da Aids. 

          Para alcançar esse objetivo, é necessário que a sociedade em geral Faça Bonito na proteção de nossas crianças e adolescentes.



Para mais informações acesse:
Perfil da Campanha no Facebook:

segunda-feira, 14 de maio de 2012

"UM NOVO AMIGO"

"UM NOVO AMIGO"
PROJETO DE INCENTIVO A LEITURA
          "Um Novo Amigo" é um projeto de incentivo a leitura criado pelo Centro de Atendimento Sócio Infantil em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Itanhandu, para estimular o hábito de ler por prazer nas crianças e nos adolescentes que participam do CASI, e demais crianças e adolescentes do município. A intenção é criar uma biblioteca que tenha como público alvo principal as crianças e adolescentes com faixa etária de 9 a 16 anos.

Justificativa: Propomos este trabalho de incentivo à leitura pois percebemos a importância de colaborar para que a criança e o adolescente se interessem pela leitura, e leiam com domínio os diferentes gêneros e compreenda a leitura em seus diversos objetivos.

Objetivos: Os objetivos deste projeto são abrangentes e pretendem atingir os diferentes níveis de leitores.
Espera-se:
  • Despertar e incentivar o interesse pela leitura;
  • Facilitar o acesso da criança e do adolescente aos diferentes portadores de textos;
  • Aproximar o aluno do universo escrito e dos portadores de escrita para que possam manuseá-los; reparar na beleza das imagens; relacionar texto e ilustração; manifestar sentimentos, experiências, idéias e opiniões, definindo preferências e construindo critérios próprios para selecionar o que irá ler.
  • Enriquecer o vocabulário;
  • Desenvolver as habilidades linguísticas: falar, escutar, ler e escrever;
  • Compreender a intenção, o ponto de vista de quem escreve fazendo uma leitura crítica, reconstruindo o sentido, segundo suas vivências e ampliando sua visão de mundo.
  • Auxiliar a criança e o adolescente no processo de contituição da identidade e na formação de valores próprios;
  • Trabalhar a leitura com diferentes objetivos: busca de informação, de prazer, para comunicar um texto a um auditório, etc.;
  • Contribuir para formação de leitores autônomos e competentes;
  • Propor atividades em que as crianças e os adolescentes tenham que perguntar, prever, recapitular, opinar, resumir, comparar opiniões e confrontar.
Estratégias:
  • Criação e organização de um biblioteca;
  • Rodas de leituras;
  • Leitura em grupo e compartilhada;
  • Leitura dramatizada;
  • Leitura de gêneros como: contos, causos, poemas, crônicas, romances, aventuras, jornais, revistas, história em quadrinhos e outros;
  • Produção de cartas para os autores ou para um amigo incentivando a leitura;
  • Produção de murais para divulgação dos livros lidos pelos alunos (Propaganda da leitura);
  • Audição de CD com diferentes gêneros: poemas, contos, lendas e outros;
  • Exibição de filmes;
  • Visita à Biblioteca Pública;
  • Assistir a peças teatrais;
  • Teatro de fantoches;
  • Jornal Falado;
  • Formação de alunos leitores;
  • Contação de histórias de assombração por parentes e amigos;
  • Hora do conto, hora da lenda, momento da poesia e outros;
  • Semana do conto;
  • Jogos de leitura,
  • Monitoramento da leitura.
Emprendimentos:
  • Criação de murais;
  • Formação de Grupo de Contadores de Histórias;
  • Produção de resenhas e recontos de autoria das crianças e dos adolescentes;
  • Coletânea de causos de assombração;
  • Criação de Fichas de leitura para análise dos elementos de narrativa e recomendação da leitura de livros.
Objetivos:

Crianças e Adolescentes
Coordenadores
Ampliar o repertório de histórias que elas conhecem.
·    Fazer com que selecionem um acervo de livros de qualidade, adequada a cada faixa-etária;
·    Observar a qualidade do acervo de livros;
·    Problematizar a escolha dos títulos que serão lidos às crianças e aos adolescentes
·    Organizar um espaço coletivo para o usufruto da leitura dentro do projeto.
Familiarizá-las com as histórias.
·    Estimulá-los a realizar com freqüência e regularidade a leitura de diferentes histórias;
·    Incentivá-los a promoção de rotinas para o usufruto da leitura fora do projeto;
·    Fazer com que incentivem a prática de leitura entre seus familiares e amigos.

Fazer com que construam o hábito de ouvir histórias e de sentir prazer nas situações que envolvem a leitura de histórias.
·    Instigá-los a compartilhar suas impressões sobre as histórias lidas incentivando-os a opinar sobre as histórias ouvidas e a manifestar sentimentos e idéias.
Aproximá-las do universo escrito e dos portadores de escrita para que possam manuseá-los, reparar na beleza das imagens, relacionar texto e ilustração, manifestar sentimentos, experiências, idéias e opiniões, definindo preferências e construindo critérios próprios para selecionar o que vão ler.
·    Fazer com que exponham preferências pessoais com o intuito de ampliar a possibilidade de avaliarem as histórias.
·    Orientá-los na seleção de textos adequados ao propósito da atividade habitual de leitura.
·    Permitir que apreciem e tenham acesso aos livros em diferentes momentos da rotina, tanto nas rodas de leitura quanto no cantinho da leitura.

Parcerias:
          Buscaremos recursos para a aquisição dos livros com munícipes, empresários locais e das proximidades, bibliotecas públicas, programas governamentais e com a Administração do Município.


Fases do Projeto:
          A promoção de um Projeto de Incentivo à Leitura pode ser dividido em três fases:

Fase 1 - O primeiro passo para o encaminhamento do projeto é a busca de parceiros que apóiem as ações a serem desenvolvidas (empresas, biblioteças, editoras, secretárias e coordenadorias de educação, ONG's, entidades comunitárias, etc.)
          Além disso, é nessa fase que se faz a divulgação para convidar os voluntários que poderão atuar lendo para as crianças e para os adolescentes.
          Campanhas de doação de livros também tornam o projeto viável.

Fase 2 - Ao organizar as informações levantadas com o questionário diagnóstico e selecionas os pré-projetos mais consistentes, para definir os objetivos e ações voltados para as necessidades dessas crianças e adolescentes.
          O levantamento do número de bibliotecas localizadas na região onde o projeto pretende atuar pode favorecer possíveis parcerias no empréstimo de livros e na confecção de carteirinhas para as criança e adolescentes.
          Paralelamente, pode-se iniciar o processo de inscrição e seleção dos voluntários e definir qual será seu papel na interação com os jovens participantes do projeto. Um cronograma de trabalho com a definição das ações culturais e educacionais e do número de participantes pode facilitar o início das atividades.

Fase 3 - Essa fase por ser iniciada com uma palestra de abertura oferecida por um especialista na área de educação. Esse é o momento em que a equipe do projeto se dedica à implementação das ações culturais e educacionais de fomento à leitura.
          É preciso ter muito cuidado na formação de leitores. Cuidado na escolha da obra, ao estimular a curiosidade para a leitura de um texto e em conduzir bem o processo. Não se pode exigir do principiante na leitura a mesma compreensão de um leitor já formado. É preciso paciência, dedicação e criatividade.
          Antes de aplicar o projeto é preciso que o parceiro acredite na idéia e também tenha consciência de que a leitura é o caminho para a educação e melhoria do país.
          A nossa proposta é mais do que criar um hábilo de leitura: é criar o desejo da leitura por prazer, ampliar a concepção do mundo e desenvolver o senso crítico.
          Apostamos na possibilidade de fazer do Brasil um país de leitores. É um sonho, sim. Mas um sonho possível de se realizar!



"O Que se faz agora com as crianças é o que elas farão depois com a sociedade"
Karl Mannheim